18 de out de 2014

Com a Palavra: Diná Fernandes

MADA...

São aquelas mulheres que amam além da conta...
Vivem em crise existencial e acometidas pelo ciúme arrebatador, são possessivas e conscientes das suas condições neuróticas, que tumultuam o lar e a vida afetiva.

Tentam de todas as formas dominar e vigiar todos os detalhes, não medem consequências para cobrar do seu amado o máximo de atenção além do seu limite e capacidade de doação!
Vivem a insistir na cobrança  redobrada de carinhos e fidelidade, se pudessem, até respirariam por seu amor.

Tornam-se submissas em todos os aspectos no intuito de sentirem-se penalizadas e abandonadas, mesmo cientes que apenas sufocam, mas, quando escutam o grito de alerta... "Para que não aguento mais"... aí, conseguem entender que estão beirando o fim, por ofertarem um amor excessivo, que em nada contribui para o próprio crescimento interior, e muito menos do parceiro.

E então, quando decidem mudar o quadro e  que é preciso abrir mão desse amor tão doentio para que, como mulher e ser humano que é, possa integrar-se à condição social de pessoa normal, equilibrada, e renovada... para isso terá que isentar-se das neuras, que as levam ao fundo do poço!

(dinapoetisadapaz)
Direitos Autorais Reservados ®

 Quer visitar um espaço de grande qualidade poética? Vá ao espaço: Ventos Poéticosque lá você encontrará outras lindas pérolas!

Quanto as palavras da autora, certíssimas. Ela abordou uma grande e explícita realidade...

Sabemos bem, que o ciúme doentio, também ocorre por parte do homem. E muitas vezes, a situação se torna bastante perigosa em função do instinto mais agressivo. Mas sabemos  também, que a mulher tem mais fibra e calma para controlar a situação e evitar certos desgastes e atropelos. E quando o ciúme se torna doentio por parte dela,  como muito bem ressaltado no texto acima, vira um transtorno, destruindo o relacionamento e abalando toda a estrutura familiar.

O pior, é quando ela age assim por nada. Ou seja, pelos mínimos motivos e por pura neurose consequente da insegurança de si mesma.
Convém saber que estas, são as tolas. Pois "a mulher sábia, edifica o seu lar".

Se ame mais, mulher e não se deixe destruir.
Procure ajuda...

Um abraço a todos, desta amiga!

12 comentários:

  1. Pessoas assim aprisionam a si mesmas.
    Tenha um abençoado fim de semana. Bjs

    ResponderExcluir
  2. Ola Lu minha amiga!

    Ótimo mesmo o texto da autora. E com um perfil perfeito para este espaço de pura atitude.
    Gostei muito também do teu argumento logo abaixo a respeito de um assunto de fato tao serio e alarmante.
    Sao mulheres inseguras e precisam de tratamento urgente ou então levam a própria vida a ruína. É lamentável!

    Parabéns a talentosa autora Diná e a você também pelas palavras e pela excelente escolha.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Es cierto; los Celos pueden destruir el Amor entre dos personas e inevitablemente pueden causar la degradación de la persona misma, cambiando completamente su forma de ser y actuar.
    Debemos psicoanalizarnos nosotros mismos y mantener posturas razonables y menos agresivas que eviten perjudicar a nuestra pareja y a nosotros mismos.
    ¡¡¡Obrigado por estar siempre ahí!!! Sabes que te quiero y admiro mucho.
    Abraços e Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, Lu. Cá estou a visitar sua ilustre página e me deparo com o meu singular texto postado, e, honrada e lisonjeada, agradeço as gentis palavras alusivas ao mesmo.
    Concordo com suas palavras sobre a "mulher sábia", que procura edificar e não destruir o lar, palavras também que cabem ao homem, penso que entre um casal, não deve haver aquela coisa de apontar o que não viu, pois apenas desperta a atenção para procurar, digamos, vingança pelo ato não praticado.
    Bjs flor!

    ResponderExcluir
  5. Obrigada Márcia, sua apreciação ao meu texto, adocicou meu core.
    Noite de paz, desejo.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Agradeço também ao Pedro e outros que por aqui passaram, leram e comentaram.

    ResponderExcluir
  7. Oi Lu!
    MADA é uma sigla para Mulheres Que Amam Demais não é não? Tipo o AA para os Alcoólatras Anônimos, ou estou enganada? Não sei ao certo se é esta a sigla, o que sei é que existem grupos de apoio para essas mulheres que tem o problema de "amarem" demais esquecendo do amor próprio, ou seja, é realmente uma doença!
    Bem lembrado o ciúme doentio dos homens também, mas eles fazem não por carência ou dependência como essas mulheres, eles fazem por poder e possessão. Muitos acabam nas páginas policiais, tamanha é a loucura. Embora quando se assiste ao Investigação Discovery, se percebe um crescimento de mulheres que matam os maridos, ex-maridos e as "rivais".
    Acho tudo uma loucura e uma dádiva ser arromântica, desse mal não morro, nem mato. rs.
    Parabéns à Diná e a ti.
    Beijo amiga.

    ResponderExcluir
  8. Querida Lu
    Desde sempre ouvi dizer que "no meio é que está a virtude", e assim é, na verdade.
    Um pouquinho de ciúme é bom, "apimenta" a relação, mostra que se está atenta e pronta a defender o relacionamento.
    Mas quando se entra no exagero... só pode dar mau resultado.
    O ciúme em excesso revela, antes de tudo, insegurança, até falta de amor próprio já que conduz as pessoas a atitudes degradantes.
    Gostei de sua postagem.

    Uma óptima semana.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Lu, belíssima postagem em homenagem a à nossa amiga e criativa poetisa Diná. Parabéns às duas!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Lu.

    Em primeiro lugar, grato pela visita e comentário em meu humilde bloguezinho. :)

    Sobre o ciúme e amor obsessivo, eis um trecho de Otelo, de Shakespeare, um livro que recomendo a leitura, aliás: "Acautela-te, meu senhor, contra o ciúme. É ele o monstro de olhos verdes que zomba da carne com que se alimenta. Que minutos desgraçados passa aquele que adora, porém duvida, suspeita, porém ama com intensidade!”

    Duas coisas terríveis acontecem em relações assim: o ciúme doentio, obviamente; e o (a) parceiro (a) se anular como indivíduo, vivendo apenas e exclusivamente para o outro com medo das reações intempestivas que o ciúme causa. Sempre sou favorável ao equilíbrio nas relações afetivas - amar é confiar, basicamente. Mas para isso é preciso desenvolver a inteligência emocional e, em casos mais graves, buscar ajuda - e a pessoa cultivar o amor por si própria, em primeiro lugar, para desenvolver a segurança.

    Um abraço e boa semana!

    ResponderExcluir
  11. Boa noite Lu!Passando para agradecer aos que leram meu texto e deixaram suas impressões à cerca do relacionamento doentio. Obrigada a todos.
    MADA (MULHERES QUE AMAM DEMAIS)

    Meu carinho à todos.

    Lu, deixo o link do selo de meu blog em homenagem ao dia do poeta.

    Bjss e mais uma vez obrigada!


    ResponderExcluir
  12. Nada em exagero é saudável, o equilíbrio é a fonte da harmonia. Parabéns Lu, importante mensagem!!

    Ghost e Bindi

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo. Aqui você vai encontrar um pouco de acidez, mas tem um pouco de doçura também, como a vida. Fique a vontade para deixar o seu comentário atitude. Logo após a leitura, o mesmo será publicado.
Muito obrigada pela visita e volte o quanto desejar.
Abraços carinhosos!

Lu Nogfer (Administradora)
Contato: lu.nogfer@hotmail.com