25 de out de 2014

Com a Palavra: Alcides Vieira

Brasil, um país de todos

 No princípio eram os índios
Depois vieram os europeus e trouxeram os negros.
Aí veio um rei e trouxe uma biblioteca
Trouxe também o saneamento básico e a sífilis.
Chegou depois a independência com uma história mal contada
De um grito às margens do Ipiranga.
Velho morreu o império 
E vieram os republicanos.
Com eles: Vargas, depois ARENA e MDB. 
No fim de uma ditadura
Fez-se os revoltados do PT.
Se foi antes ou depois, não sei
Mas me lembro de um tal Sarney.
Depois, para impedir que se matassem
O Criador inventou o PSDB,
Pois no PMDB não cabia o grande FHC.
No sétimo dia o Criador descansou ...
Tempos depois, por ganancia, sede e fome de poder
Caim matou Abel
E fizeram de Brasília uma torre de babel.
Apareceu um tal de Fernando
Prometendo acabar com os marajás
Confiscou o dinheiro de todos
E quis governar só para alguns.
O povo, massa de manobra de uma televisão poderosa
Que também fora enganada
Foi às ruas e pediu sua retirada.
Então chegou o Itamar
Seu grande feito foi ir ao Carnaval
E sair de lá de fusquinha
Com uma modelo sem calcinha.
Chegou então o outro Fernando
Aquele que fundou o outro partido
E quase vendeu o Brasil inteiro 
Para grande parte do estrangeiro.
Depois disso veio um operário,
Semianalfabeto e barbudo
E governou para a “classe mais pobre”.
Em seguida veio uma mulher, que não é santa, nunca foi.
E a história continua...
PT e PSDB se enfrentam e se acusam de corrupção
Caem muitas vezes em contradições
E se esquecem de que desde que o mundo é mundo
Convivemos com homens, mulheres e ladrões.

 Autoria:Alcides Vieira
Direitos Autorais Reservados ®

Quero agradecer ao amigo Alcides do blog Abismo Noturno pela autorização para partilhar um texto tão inteligente e bem construído. (Um poeta super talentoso!)
Só assim pra eu conseguir ler sobre um assunto que ultimamente está difícil, engolir!

E não por coincidência, amanha é dia de votação...(De novo? Affff!!!)
Eles se agridem verbalmente na disputa pelo poder, mas sobra para a gente brasileira, decidir...
É muita responsabilidade, mas vamos dar um voto de confiança, né gente? Tem outro jeito?

E que Deus nos acuda!

                                                            

6 comentários:

  1. Oi Lu!

    Realmente nao da mais para engoli sapos dessa politica desastrosa que é a nossa. Mas o texto é bem inteligente mesmo. É fácil de compreender e nao ficou nem um pouco cansativo como textos que vejo por ai que nao consigo chegar nem na metade. Porque a bagunça que esta este governo nosso da uma preguiça na gente.

    Parabéns ao autor pelo belo trabalho e pelo seu gosto sempre tao apurado nas escolhas dos textos. Fantástico este,
    E vamo votar né, fazer o que?

    ps.Estava em viagem. Estou indo no asas também.
    Beijo lu ate

    ResponderExcluir
  2. Lu, há pouco opinei sobre esse texto do Alcides que para mim, é um dos blogueiros mais centrados do mundo dos blogs e, portanto, repito com todas as palavras o que achei do texto e também do contexto de nossa situação:

    Isso da Independência do Brasil, não sei como é agora, faz tempinho que terminei o Ensino Fundamental, mas para as crianças, passam essa visão romântica da independência, daí quando tu chega no Ensino Médio, encontra bons professores de História que te fazem cair na real. Porque iludem assim as crianças?
    Eu estava falando com uma amiga estes dias, tem gente desfazendo amizades por conta da Dilma e do Aécio, partidos, candidatos. São tudo farinha do mesmo saco, logo estarão unidos fazendo alianças políticas. E aí? A vida dessa gente como fica depois?
    Parabéns pelo texto.

    É isso Lu!
    Parabéns a ti também pela escolha!

    ResponderExcluir
  3. Ótimo texto,do Alcides Vieira,Lu. Logo mais saberemos o destino do Brasil...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Gostei das colocações dele, Lu. Narrou a história de forma sintética e clara. Não há políticos que se consigam manter intactos, já que esse é um campo onde só se consegue permanecer com alianças (e as malditas falcatruas). Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Lu Maravilha!

    Obrigado pela partilha e pelas palavras!

    Obrigado também a todos que passaram por aqui e gostaram do texto.

    Sobre eles se agredirem verbalmente e sobrar para a gente brasileira decidir, tem gente que fica nervosa com as opiniões dos outros. Acho que é porque se lembram da letra "Brava gente brasileira". Mas não fiquemos bravos: "Deixemos de coisa, cuidemos da vida"

    Beijos!
    Alcides

    ResponderExcluir
  6. Querido, eu é que agradeço por me conceder esse texto de tamanha atitude que achei ter a cara desse espaço ou a intenção.rs

    Concordo com voce com relação as opiniões, pois tem gente que realmente, confunde tudo e se enerva á toa!
    A gente tem que decidir sim mas nunca esquecer que a expressão contida no hino: "Brava gente, brasileira" que dizer: avante, atitude, lutar com forças e não com foice e discussões vazias que não servem para nada a não ser para criar atritos.
    Assim como a Mi disse no comentário dela, eu também vi cada coisa por ai nesse final de eleições, principalmente no Face!Affff!
    As pessoas se agridem por não aceitarem a opinião um do outro esquecendo que opinião é coisa mais que pessoal. Cada um tem a sua e deve se respeitar e ponto.
    "E deixemos de coisas sim e cuidemos da vida" e com urgência, né não?! Pois como disse o poeta:"A vida é muito pra ser insignificante!"

    Beijos e obrigada pelas palavras, amigo meu!

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo. Aqui você vai encontrar um pouco de acidez, mas tem um pouco de doçura também, como a vida. Fique a vontade para deixar o seu comentário atitude. Logo após a leitura, o mesmo será publicado.
Muito obrigada pela visita e volte o quanto desejar.
Abraços carinhosos!

Lu Nogfer (Administradora)
Contato: lu.nogfer@hotmail.com