25 de nov de 2012

Com a palavra: Moacir Willmondes

Beliscão...


Dentre todas as frases que um homem pode ouvir da mulher amada, há uma que é um tiro de misericórdia no morto que ainda respira: vamos dar um tempo!

Um iceberg habita essa frase.

Quando o homem se torna um desatento reiterado dos sinais do tempo na arte de amar, e adquire um dissimulado ouvido nas discussões da relação, se tornando um míope no romantismo das palavras e atitudes, está, na verdade, levantando a bola para ela cortar com essa frase: vamos dar um tempo!

Triste frase, frase de uma figa, beliscão feminino, tapa na cara, aí, como dói!

Senha para noites solitárias, encurtadora de cobertor. Transforma a cama num campo de futebol para uma partida de um homem só, a bola não rola e se rola é num campeonato monótono em partidas de cinco contra um...

E não adianta ficar amigo de Freud para tentar responder à pergunta: “afinal, o que querem as mulheres?”

Há que se descobrir, caros concidadãos, não há receitas prontas, cada um descobre com ajuda delas mesmo o elixir de homeopáticas doses do combate ao mal da desatenção.

Talvez valha a pena começar pela dedicação nas coisas simples: um abrir de porta; um elogio quando ela displicente lambe a tampa do iogurte; a voluntariedade para pegar algo que ela deixou cair; nunca deixar de notar a mudança no corte ou cor dos cabelos dela; não reclamar da indecisão delas diante do cardápio, do guarda roupas ou da vitrine; surpreendê-la com uma lembrancinha fora do aniversário conta pontos, lembremos o exemplo de Fabiano, personagem de 'Vidas Secas', que mesmo pobre de marré-de-si sempre que ia à cidade trazia um corte de pano para sua amada; um sutil beliscão nas nádegas quando ninguém está olhando na rua; um palavrãozinho sussurrado no ouvido na fila do cinema; um telefonema ou torpedo inesperado no meio da tarde; um bilhete escrito “eu te amo” deixado escondido no bolso dela; uma massagem nos pés no final do dia, nas costas e no ego sempre; induzir as serotoninas dela com chocolates nos dias de TPM; uma flor colhida na rua quando for encontrá-la (se ela gostar de flores vale um buquê inteiro, abra uma conta no florista como recomendava o mestre Vinícius).

É, compatriotas, percebo que o aprendizado na estrada do amor nunca tem fim. Mas não carece de sacrifícios, quando se ama se torna uma dedicação gostosa essa de estar atento aos anseios da amada, qual um anjinho em público e um diabinho entre quatro paredes.

Carece abrir os olhos. Não somente isso, abrir o coração, a boca, os ouvidos, os bolsos, até.

E nada de achar que para elas basta orgasmos múltiplos uma vez por semana, elas querem mais que ir às nuvens, querem roda gigante, montanha russa, balanço na sombra de uma árvore, querem descobrir o que nem mesmo elas e nem nós ainda sabemos de todo: a intensidade da vida.

Autoria: Moacir Willmondes
Direitos Autorais Reservados ®


Partilhando esse texto com prévia autorização do autor. Pois gostei muito deste "se liga!"
Gosto muito do jeito e da clareza com que o Will se expressa em seus textos. Um  cara super inteligente, talentoso...sobretudo sensível!
Confira no 

A mulherada é sensível por demais! Ate as coisinhas mais bobas e simples contam ponto para elas, mas infelizmente passam despercebidas aos desavisados,  deixando a relação muito a desejar.

Por hoje é isso.

Forte abraço em todos, desta amiga!

3 comentários:

  1. Lú will tem toda razão e você também no mundo das pessoa desatentas ao amor surge aquela máxima em terra de cego que tem um olho é rei !!! kkk Mas São coisas tão pequenas que as contenta ...e devem ser inclusas no cardápio do coração ...para que não pareçam por obrigação senão nada vale...Quanto a nós homens basta uma lagrima...não suporto ver um dama chorando faço o que ela quiser ...vou buscar uma estrela se preciso for kkkk mas mulher chorando não...paramim é como ver uma rosa chorar !!1 Um beijo e parabéns pélo post Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  2. Lu,

    você sempre brinda a sensibilidade com tua perspicácia. Neste caso, brindo contigo os homens que mesmo longe da perfeição, empenham-se em ser atencioso às minúcias da mulher amada.

    Abraço com carinho!

    ResponderExcluir
  3. Que bacana esse texto amiga!
    Um belo beliscao por sinal.Eu e voce nao podemos reclamar nao né Lu?rs Temos esposos super atenciosos . O seu até te mima que eu sei!kkkkkkkkkk
    Mas aqui pra nos eu conheço uns homens por aí que Deus me livre!
    As vezes a mulher tem que pendurar uma melancia no pescoço pra ser percebida. Vc sabe de quem estou falando!Coitada da nossa amiga!rsrs

    Parabens para o autor de muita atitude e sensibilidade.E a vc tb pela linda partilha!
    O post ficou 10, amiga. Como sempre vc!

    Beijos

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo. Aqui você vai encontrar um pouco de acidez, mas tem um pouco de doçura também, como a vida. Fique a vontade para deixar o seu comentário atitude. Logo após a leitura, o mesmo será publicado.
Muito obrigada pela visita e volte o quanto desejar.
Abraços carinhosos!

Lu Nogfer (Administradora)
Contato: lu.nogfer@hotmail.com