26 de ago de 2013

Onde Cabe o Eterno...






Tudo começou assim...
Ele caminhava em total descompasso. Parecia um pássaro livre, leve e solto... Louco para pousar naquele jardim que de longe avistara.
Foi se chegando pouco a pouco para não assustá-la de tanto encanto!

Era amizade, paixão, amor?
No inicio nunca se sabe quando um sentimento surge tão de repente numa estrada de mão dupla e numa recíproca tão verdadeira.

 Uma emoção quase a olho nu os invadira. Era como se pudessem tocar o abstrato, o céu, as estrelas...
Olhares tão doces, que faziam com que aqueles corações saltassem dentro deles.
...
Era algo forte que antecedera às primeiras palavras.
Bastou um oi para o sentimento se aflorar ainda mais entre os dois.
Momentos inesquecíveis foram marcados por emoções jamais sentidas antes. Mas ele, por motivos que nunca se soube, se afastou deixando um silêncio gritante, reticências, interrogações e muitas lacunas por preencher.

Apesar dos dois não se prometerem nada, ela o esperava incessantemente.
Uma espera quase eterna aos esperançosos olhos dela.

Os ponteiros pareciam parados. As noites eram dormidas de sonhos.Os dias, cada vez mais longos.
 [...]

Finalmente, quebra de silencio.
Um reencontro por acaso. Um olhar. Pouca conversa. Troca de telefone...

O primeiro toque, quase interrompido como se houvesse pressa. E um emotivo alô de ambas as partes.
Gaguejavam algumas palavras numa linguagem tão tímida quanto confusa. As palavras fugiam como se estivessem amedrontadas. Nada foi dito do que planejaram. Parecia mais pisarem em nuvens...
Naquele momento, era tão somente emoções.

Com o passar do tempo, aproximavam-se cada vez mais, com desejos intensos de se falarem, de se ouvirem, de se tocarem... Mas tamanha era a timidez dos dois...
 [...]

Um belo dia, eles decidiram deixar de lado toda aquela timidez que só atrapalhava. Não perderam a oportunidade de serem sinceros um com o outro. Foram direto ao ponto. Dessa vez, nitidamente.

A cumplicidade era explícita entre eles. As palavras saltavam junto à respiração. Porem dessa vez, era diferente. Era mais tranquilo, sereno...

Parecia tudo tão simples! Mas não era...
Falavam como se cantassem uma canção de amor jamais ouvida.Conjugavam em uníssono o verbo mais bonito, como se recitassem poesias líricas. Uma conjugação absolutamente sincera. A dois...

Eles eram diferentes sim. Pouca coisa em comum os unia. Mas o amor era tão grande, que a diferença era o que menos importava.  A paixão os tornavam cúmplices enquanto o amor invadia e os consagravam. Eles não se cabiam de felicidade. Começava ali então, uma linda história de amor!

Embora naquele momento, sentiam e ouviam coisas comuns entre os apaixonados como as tais borboletas no estômago, sinos tocando e etc. , tudo ainda parecia efêmero.

Talvez nem tudo possuísse o além ao infinito. Mas já se percebia que era apenas o inicio de algo sublime, desmedido, inapagável. E quem sabe, eterno? Afinal o eterno cabe dentro do imensurável, seja este, um momento ou uma vida inteira.

(Lu Nogfer)

14 comentários:

  1. Oi Lu
    Quanta magia e amor colocou nesse conto, simplesmente maravilhoso.
    Obrigado por ter ido me felicita pelo aniversário, pois eu adoro os teus espaços e espero ficar por muito tempo por aqui
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  2. Maravilloso Relato lleno de Magia y Fantasía.
    Abraços e beijos.

    ResponderExcluir
  3. Uau Lu, que enredo delicioso de ler!Que conclusão fantástica!
    "Afinal o eterno cabe dentro do imensurável, seja este, um momento ou uma vida inteira."
    Acheio lindo isso!Perfeito!
    Voce como sempre da um show em suas criaçoes.

    Beijinho e parabens amiga.

    ResponderExcluir
  4. Eterno é cada dia de nossa vida, beijo Lisette,

    ResponderExcluir
  5. Se levarmos em conta que a eternidade reside na intensidade do momento vivido, mesmo finito, aproveitamos mais as alegrias que a vida nos oferece aos bocadinhos. Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Lindíssimo, Lu.

    Não dá mesmo para acreditar que o arco-iris tenha somente sete cores, as demais cores só podem mesmo ser sentidas...

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  7. Ola querida LU,Deslumbrante é o que pode ser dito desta encantadora história.Sabes,não consigo contato quando estás no Google+,por isso ando meio desaparecida de teu espaço que tanto aprecio.Adorei ver-te novamente no meu "cantinho".Uma boa noite e grande abraço e beijo.SU

    ResponderExcluir
  8. @Suzane Weck

    Querida, sabe o que acontece? É que tenho ido em seu cantinho, logada no perfil do Google+ que criei para o novo blog. Nem sei como faz para reverter ao blogger onde o acesso é mais fácil! Confesso que sou meio tapada pra essas coisas de net e a paciencia é zero para aprender!rsrs
    Enquanto isso, vou tentando me lembrar de me logar no blogger pra te ler e ouvir. Adoro a tua voz!

    Obrigada pelo carinho, flor!

    Um beijo grande!


    PS:
    UM LINDO DIA A TODOS E MUITO OBRIGADA PELO CARINHO NAS PALAVRAS!

    Um forte e carinhoso abraço.



    ResponderExcluir
  9. Meu Deus do céu!Eis aqui um texto maravilhoso de se ler. Moça, você descreveu a transformação da paixão em amor, com uma graça e uma leveza impressionante. Adorei ler.
    Parabéns pelo texto! Parabéns pela escolha da música.
    É sempre bom ler bons textos. É sempre bom ouvir boa música.
    Abraços, Lu Nogfer.

    ResponderExcluir
  10. @V.B. Mello

    Muito obrigada, Querido!

    Seja muito bem-vindo nesta casa e volte sempre que quiser!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  11. Oi Lu
    Passando para lhe desejar um ótimo fim de semana.
    Um beijo
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  12. Carinhosamente passando para
    desejar um feliz e abençoado Domingo.
    Sem falar das saudades , que tenho no coração.
    A vida tem dessas coisas de vez em quando
    testa nossa fé e força para lutar.
    Beijos no coração carinhos e afagos na sua alma.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  13. Oi Lu!
    Isso ainda vai virar um belo conto/romance, pois sabe prender a atenção com esse trecho poético.
    "Afinal o eterno cabe dentro do imensurável, seja este, um momento ou uma vida inteira." E tomara que seja a vida inteira.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  14. @Augusto Sperchi

    Muito obrigada pela visita e pelas palavras! Seja muito bem-vindo, amigo.

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo. Aqui você vai encontrar um pouco de acidez, mas tem um pouco de doçura também, como a vida. Fique a vontade para deixar o seu comentário atitude. Logo após a leitura, o mesmo será publicado.
Muito obrigada pela visita e volte o quanto desejar.
Abraços carinhosos!

Lu Nogfer (Administradora)
Contato: lu.nogfer@hotmail.com