8 de jun de 2013

Com a palavra: Paulo Tamburro



Nocaute


Não há sol que, ilumine a cavernas profundas que ficam em nós,depois de uma ingratidão que fere e marca feito gado, nosso corpo indefeso, surpreso pego como um olhar de soslaio.
Ninguém está preparado contra a ingratidão e, nem existe antidoto conhecido pois,esta selvageria comportamental,  só ocorre entre aqueles que se confiam mutuamente e depositam confiança extrema portanto,  jamais supõem, numa crença ingênua, que serão alvos do disparo inesperado de tais armas mortais.
Victor Hugo dizia que :  "Os infelizes são ingratos;isto faz parte da infelicidade deles".
Bem , então começamos por aqui, ou seja, eu cometo um ato de desrespeito a terceiros, ignoro tudo que fizeram por mim alheio àquilo que, me amenizou sofrimentos , porque sou infeliz e sendo assim, mais um também terá que ser, farei que outro viva igualmente, o meu  purgatório.
É a mesma história do afogado, que ao tentar salvarmos - e todo profissional desta área sabe disso - ele nos puxa também,para o fundo.
Na infelicidade não existiria nenhuma solidariedade,nada que impeça a contaminação deste vírus cruel,seja pela boca malévola das maledicências , premeditados atos de fofocas ou quem sabe, em práticas dolosas e meticulosamente urdidas em mentes doentias.
É muito vasto o campo no qual a ingratidão pode ser semeada,muito fértil a terra que são escolhidas para a sua reprodução no qual, o sol é usado como combustível do mal e seu calor ao invés de dar vida, queima de forma irrecuperável, extensas lavouras de amizades que jamais terão mais nenhuma colheita.
"A ingratidão provém, com certeza,da impossibilidade do pagamento de uma dívida" diria o escritor Honoré de Balzac em: A Comédia Humana.
Esta é uma obra hercúlea, extensa  e admirável com mais de  noventa e cinco romances nos quais é  retratada a sociedade francesa do século dezenove, muito parecida com todas as outras sociedades, antes e depois daquela sobre a qual, ele escreveu.
Somos todos iguais!
Afinal, humanos de osso , carne e pele até por vezes bronzeadas,  somos todos nós  e, se até as mais colossais rochas sofrem erosões do tempo porque nós não a sofreríamos?
Mas dói e imensamente, isso dói!
A força e o inesperado da violência de uma ingratidão, vinda do lado que menos esperamos é desconcertante.
Nos nocauteia e somos jogados inertes na lona fria dos ringues da vida, sem sabermos sequer o nome do golpe que sofremos e a sua razão, como se aliás, pudêssemos  sentir menos,ou ficarmos menos revoltados, se o golpe fosse menos sujo.
Portanto,nunca é menos pois, sempre nestes casos é muito mais!

Autoria: Paulo Tamburro
 Direitos Autorais Reservados ®

É verdade meu caro, tudo que disse e principalmente quando disse que "não existe antidoto conhecido" para combater o mal das tantas indelicadezas usadas a pulso forte. E revidar com a mesma moeda seria trocas desgastantes, talvez... E por vezes, é nesses nocautes que aprendemos a praticar o desapego.  Quase tarde mas nunca o é!

Quero agradecer ao amigo Paulo por esta pérola que pude partilhar aqui.
Um cara sensível e dono de uma avantajada inteligência. E portanto , além de escrever o blog Falando Sérioescreve muitos outros. Todos de excelente qualidade! Confiram.

A todos, o meu abraço!


Lu Nogfer


5 comentários:

  1. Debemos cambiar de actitud y ser más agradecidos, más amables...más educados. Vivir la vida de un modo diferente y hacerla vivir a los demás de una forma más agradable.
    Precioso Post.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Que belo texto, amiga!
    Somos o tempo todo nocauteados com tantas indelicadezas. E muito bacana o paralelo que voce fez com o desapego que muitas das vezes so depois que somos pisados e decepcionados é que conseguimos nos desapegar a alguem que insiste em nos nocautear!

    O autor esta de parabens e voce tambem pelas excelentes divulgaçoes que tem feito aqui. So tem gente boa por aqui.

    Beijos aos dois e uma bela semana!

    ResponderExcluir
  3. LU,

    você desmoraliza a ingratidão!

    Com estes atos generosos, nascidos da essência de sua conhecida bondade e ao divulgar o trabalho de seus outros amigos virtuais,pinta com tinta forte os relevos grandiosos desta sua personalidade, que é tão grata a todos nós.

    Obrigado, LU.

    Um abração carioca, conterrânea.

    ResponderExcluir
  4. Por essa razão, melhor não alimentarmos expectativas altas com relação a tudo e a todos. Não nos chegam, tão somente, boas atitudes, o que não nos impede de agir da forma com a qual gostamos de ser tratados. E afastar aqueles que não nos fazem bem. Bjs.

    ResponderExcluir

Seja bem-vindo. Aqui você vai encontrar um pouco de acidez, mas tem um pouco de doçura também, como a vida. Fique a vontade para deixar o seu comentário atitude. Logo após a leitura, o mesmo será publicado.
Muito obrigada pela visita e volte o quanto desejar.
Abraços carinhosos!

Lu Nogfer (Administradora)
Contato: lu.nogfer@hotmail.com